Ano Santo Mariano

quarta-feira, 30 de abril de 2014


Programação - Ano da Vida Consagrada

A Carta circular intitulada “Alegrai-vos”, baseada nas Sagradas Escrituras e nas palavras do Papa Francisco, será instrumento-base para de preparação dos Religiosos e Religiosas para o Ano da Vida Consagrada.

O prefeito da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica do Vaticano, dom João Braz de Aviz, apresentou na tarde da quarta, 26.02, para centenas de Religiosas e Religiosas, a carta “Rallegratevi” (Alegrai-vos), destinada a todos os consagrados e consagradas em preparação para o ano da Vida Consagrada, 2015. O evento aconteceu na Pontifícia Universidade Urbaniana de Roma.

Participou da cessão, como moderadora, Vittoria Terenzi  e os  interventores: o secretário, a vice-secretária e o subsecretário da Congregação, Dom Frei Jose Rodríguez Carballo, Irmã Micla Spezzati e padre Sebastiano Paciolla e o teólogo, padre Bruno Secondin.

Dom Frei Carballo, fazendo menção às palavras de Francisco, frisou que “não há santidade para a tristeza e não se pode testemunhar com a cara de funeral”. E convidou os consagrados e consagradas a serem “audazes e perigosos, como o foram os profetas”. 

Para a vice-Secretária, Irmã Micla Spezzati, maior que a 'crise de vocações' é a 'crise de fidelidade', ressaltou, ao fazer referência ao conteúdo da carta. 

O Cardeal Aviz explicou o significado do título da carta: ‘Alegrai-vos’. “O sentido deste título é maravilhoso porque a nossa vida deve ser expressão de uma grandíssima alegria. Para ser um consagrado ou consagrada triste, é melhor que não o seja. Devemos encontrar essa alegria não só fora, mas no nosso interior”, disse. Dom João afirmou ainda, que a carta se baseia nas passagens das Sagradas Escrituras, mas sobretudo nas palavras do Santo Padre, o Papa.

A carta circular é composta de duas partes, enriquecidas por dois ícones bíblicos: ‘Alegrai-vos, exultai, resplandecei de alegria, consolai, consolai o meu povo’. A parte final contém algumas perguntas do Papa Francisco que  servirão para estimular a reflexão e com a oração final “Ave, Mãe da Alegria.

O texto publicado pela editora italiana Casa LEV, estará disponível em espanhol, inglês e francês. Outras cartas serão publicadas com o intento de acompanhar a preparação e a reflexão do Ano da Vida Consagrada.

O Dicastério apresentou um primeiro calendário das atividades para aquele ano:

30/11/2014 – Abertura Oficial do Ano da Vida Consagrada (primeiro domingo do Advento);
22 a 24/01/ 2015 – Encontro Ecumênico com os consagrados e consagradas de outras Igrejas (durante a Semana de Oração pela unidade dos cristãos);
8 a 11/04/2015 – Encontro com os formadores e formadoras para aprofundar os critérios para uma espiritualidade da comunhão;
18 a 21/11 – Encontro para a Vida Monástica - Serão convidados os presidentes das Federações de todas as Ordens. Na mesma data haverá o Encontro para as Sociedades de Vida Apostólica e para a Ordo Virginum;
28/01 a 01/02/ 2016 – Simpósio Teológico sobre a Vida Consagrada;
02/02/2016 – Encerramento oficial.

De acordo com Dom João, será lançada uma corrente mundial de oração com todos os Mosteiros do mundo na intenção de todas essas atividades. Está previsto, também, um curso de formação online para a Vida Contemplativa que será orientado e acompanhado pelo Dicastério.

Tradução: italiano-português: Rosinha Martins.Fontes: Sites: vd.pcn.net/it/ e da crb.
- - - - - - -

"Quero vos dizer uma palavra e a palavra é 'alegria'. Sempre onde estão os consagrados, há alegria".
Com estas palavras o Papa Francisco abre o texto que contém os temas alusivos à vida, à missão e ao modo de ser dos Consagrados e Consagradas.

A carta-circular "Alegrai-vos" já está disponível em português nas livrarias Paulinas.

segunda-feira, 21 de abril de 2014

Fr. Raimundo, Madre Maria José, Irmã Maria Elisabete
Madre Maria Elisabete e Madre Agnes Maria

Nosso Mosteiro teve a alegria e a graça de sediar dos dias 10 à 15 de Fevereiro último passado, a reunião anual do Conselho da Federação Sagrada Família sob a presidencia da Madre Maria José da Rosa Mística, OSC e a presença fiel de nosso Assistente Frei Raimundo Justiniano de Oliveira Castro, OFM.

Sob a iluminação do Espírito do Senhor as Irmãs movidas pelos ecos da Exortação Apostólica Evangelii Gaudium do Papa Francisco, que já no início convida “todos os homens e mulheres, em qualquer lugar e situação que se encontre, a renovar hoje mesmo o seu encontro pessoal com Jesus Cristo ou, pelo menos, a tomar a decisão de se deixar encontrar por Ele, de O procurar dia a dia sem cessar”, se empenharam na discussão dos vários assuntos que diz respeito à Federação e aos Mosteiros espalhados pelo nosso imenso Brasil.

Naquela semana as celebrações diárias da Santa Missa foram presididas por Frei Raimundo e ainda partilhamos a Palavra de Deus em momentos fraternos de reflexão.

Nosso querido Papa Francisco em nome da Mãe Igreja nos propõe um caminhar belíssimo e bem “pé no chão” nos fazendo sempre e mais ‘buscar as coisas do alto’, nesse sentido façamos uso das palavras de nossa Seráfica Mãe Santa Clara “Quem vai me dizer, então, para não exultar com tão admiráveis alegrias? Por isso, exulte sempre no Senhor você, querida. Não se deixe envolver pela amargura e o desânimo, senhora amada em Cristo”.

Agradecemos à querida Madre Maria José e seu Conselho: Madre Maria Elisabete, Madre Agnes Maria e Irmã Maria Elisabete e o caríssimo Frei Raimundo por estes dias tão ricos de nossa espiritualidade e por sua presença entre nós.

Algumas fotos destes dias:









Em louvor de Cristo!
Amém.

domingo, 20 de abril de 2014


Amados irmãos e irmãs, boa e santa Páscoa!

Ressoa na Igreja espalhada por todo o mundo o anúncio do anjo às mulheres: «Não tenhais medo. Sei que buscais Jesus, o crucificado; não está aqui, pois ressuscitou (...). Vinde, vede o lugar onde jazia» (Mt 28, 5-6).

Este é o ponto culminante do Evangelho, é a Boa Nova por excelência: Jesus, o crucificado, ressuscitou! Este acontecimento está na base da nossa fé e da nossa esperança: se Cristo não tivesse ressuscitado, o cristianismo perderia o seu valor; toda a missão da Igreja via esgotar-se o seu ímpeto, porque dali partiu e sempre parte de novo. A mensagem que os cristãos levam ao mundo é esta: Jesus, o Amor encarnado, morreu na cruz pelos nossos pecados, mas Deus Pai ressuscitou-O e fê-Lo Senhor da vida e da morte. Em Jesus, o Amor triunfou sobre o ódio, a misericórdia sobre o pecado, o bem sobre o mal, a verdade sobre a mentira, a vida sobre a morte.

Por isso, nós dizemos a todos: «Vinde e vede». Em cada situação humana, marcada pela fragilidade, o pecado e a morte, a Boa Nova não é apenas uma palavra, mas é um testemunho de amor gratuito e fiel: é sair de si mesmo para ir ao encontro do outro, é permanecer junto de quem a vida feriu, é partilhar com quem não tem o necessário, é ficar ao lado de quem está doente, é idoso ou excluído... «Vinde e vede»: o Amor é mais forte, o Amor dá vida, o Amor faz florescer a esperança no deserto.

Com esta jubilosa certeza no coração, hoje voltamo-nos para Vós, Senhor ressuscitado!

Ajudai-nos a procurar-Vos para que todos possamos encontrar-Vos, saber que temos um Pai e não nos sentimos órfãos; que podemos amar-Vos e adorar-Vos.

Ajudai-nos a vencer a chaga da fome, agravada pelos conflitos e por um desperdício imenso de que muitas vezes somos cúmplices.

Tornai-nos capazes de proteger os indefesos​​, sobretudo as crianças, as mulheres e os idosos, por vezes objecto de exploração e de abandono.

Fazei que possamos cuidar dos irmãos atingidos pela epidemia de ébola na Guiné Conacri, Serra Leoa e Libéria, e daqueles que são afectados por tantas outras doenças, que se difundem também pela negligência e a pobreza extrema.

Consolai quantos hoje não podem celebrar a Páscoa com os seus entes queridos porque foram arrancados injustamente dos seus carinhos, como as numerosas pessoas, sacerdotes e leigos, que foram sequestradas em diferentes partes do mundo.

Confortai aqueles que deixaram as suas terras emigrando para lugares onde possam esperar um futuro melhor, viver a própria vida com dignidade e, não raro, professar livremente a sua fé.

Pedimo-Vos, Jesus glorioso, que façais cessar toda a guerra, toda a hostilidade grande ou pequena, antiga ou recente!

Suplicamo-Vos, em particular, pela Síria, a amada Síria, para que quantos sofrem as consequências do conflito possam receber a ajuda humanitária necessária e as partes em causa cessem de usar a força para semear morte, sobretudo contra a população inerme, mas tenham a audácia de negociar a paz, há tanto tempo esperada.

Jesus glorioso, pedimo-vos que conforteis as vítimas das violências fratricidas no Iraque e sustenteis as esperanças suscitadas pela retomada das negociações entre israelitas e palestinianos.

Imploramo-Vos que se ponha fim aos combates na República Centro-Africana e que cessem os hediondos ataques terroristas em algumas zonas da Nigéria e as violências no Sudão do Sul.

Pedimos-Vos que os ânimos se inclinem para a reconciliação e a concórdia fraterna na Venezuela.

Pela vossa Ressurreição, que este ano celebramos juntamente com as Igrejas que seguem o calendário juliano, vos pedimos que ilumine e inspire as iniciativas de pacificação na Ucrânia, para que todas as partes interessadas, apoiadas pela Comunidade internacional, possam empreender todo esforço para impedir a violência e construir, num espírito de unidade e diálogo, o futuro do País.Que eles como irmãos possam cantar Хрhctос Воскрес.

Pedimo-Vos, Senhor, por todos os povos da terra: Vós que vencestes a morte, dai-nos a vossa vida, dai-nos a vossa paz! Queridos irmãos e irmãs, feliz Páscoa!

da Sacada Central da Basílica Vaticana
Domingo, 20 de Abril de 2014

FONTE: Site da Santa Sé

sábado, 19 de abril de 2014



e é um prodígio aos nossos olhos» (Sl 118,23)

Eis a hora em que aparece a luz bendita de Cristo; os raios puros do Espírito elevam-se e o céu abre os tesouros da glória divina. A noite vasta e obscura foi engolida, dissiparam-se as trevas espessas, a triste sombra da morte afundou-se nas sombras. A vida desdobra-se sobre todas as coisas; tudo se enche de uma luz sem fim. A aurora das auroras levanta-se sobre a terra e, «das entranhas da madrugada» (Sl 110,3), antes dos astros, imortal e imenso, o grande Cristo brilha mais que o sol sobre todos os seres.

Para nós, que cremos nele, instaura-se um dia de luz vasta e eterna, que nada poderá extinguir: é a Páscoa mística, celebrada em prefiguração pela Lei, consumada em verdade por Cristo, Páscoa magnífica, maravilha da força de Deus, obra do seu poder, a verdadeira festa, o memorial eterno: a libertação de todo o sofrimento nasce da Paixão, a imortalidade nasce da morte, a vida nasce do sepulcro, a cura nasce da ferida, a levantamento nasce da queda, a ascensão nasce da descida aos infernos. […]

As mulheres foram as primeiras a vê-Lo ressuscitado. Tal como tinha sido uma mulher a introduzir o primeiro pecado no mundo, também foi ela que trouxe em primeiro lugar a notícia da vida. Foi por isso que as mulheres ouviram esta palavra sagrada: «Mulheres, alegrai-vos!» (Cf Mt 28,9 grego), para que a primitiva tristeza fosse tragada pela alegria da ressurreição. […]

À vista de mistério tão grande — um homem ascendendo a Deus —, as potências dos céus bradam de alegria aos exércitos dos anjos: «Ó portas, levantai os vossos umbrais! Alteai-vos, pórticos eternos, que vai entrar o rei glorioso.» Vendo esta maravilha, a natureza humana unida à de Deus, estas por sua vez clamaram: «Quem é esse rei glorioso?» e os outros responderam: «É o Senhor do universo! É Ele o rei glorioso. É o Senhor, poderoso herói, o Senhor, herói na batalha» (Sl 24,7ss) [Homilia grega do século IV (inspirada numa homilia perdida de Santo Hipólito de Roma) sobre a santa Páscoa, §1 e 58ss; PG 59, 743; SC 27].


- - - - - - -

Caríssimos Irmãos e Irmãs, eis a LUZ de CRISTO !!!

Nossa gratidão a Ele em nos proporcionar de levar a Sua LUZ nos recantos de nossa Diocese pelas nossas mãos (confecção dos círios pascais).

"Este é o dia que o Senhor fez para nós, alegremo-nos e n'Ele exultemos! (Sl 117, 24).






Em louvor de Cristo!
Amém.

sexta-feira, 18 de abril de 2014


Queridas Madres e Irmãs Clarissas da Federação Sagrada Família,

Desejo a Paz do Cristo Ressuscitado a todas.

Frei Raimundo, ofm
Assistente da Federação Sagrada Família das Irmãs Clarissas do Brasil

quinta-feira, 17 de abril de 2014

quarta-feira, 16 de abril de 2014


Vi o Senhor!

Caríssimos Irmãos, Aleluia! Cristo ressuscitou!

São Boaventura, no capítulo 20 do seu Comentário ao Evangelho de São João, nos apresenta uma imagem da manhã da ressurreição. Figura chave desta narração é Maria Madalena, que é apresentada pelo santo como modelo, “seja na vigilância da busca seja no zelo do anúncio” (20,2). Madalena é uma buscadora vigilante, que chega ao túmulo nas primeiríssimas luzes da aurora, “quando ainda estava escuro” (Jo 20,1). Segundo Boaventura, é como se Jesus pronunciasse as palavras de Provérbio 8,17: “Aqueles que madrugam por mim hão de me encontrar”. Continua, pois, com o retrato de Maria Madalena, explicando que, depois do seu encontro com o Senhor ressuscitado, ela se tornou anunciadora zelosa, indo anunciar aos discípulos: “Vi o Senhor” e as coisas que ele lhe disse (Jo 20,18).

Tecnologia do Blogger.

Últimas Postagens